segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Anjos e urubus





































Anjos e urubus



Anjos e Urubus

Do juízo final
alguns se cansaram
de tanto esperar

suas asas criaram raízes
varizes
nervuras e unhas

e eles gostaram da coisa
pois tudo que passa
eles querem pegar

mas ai!
que desgraça
tudo se esmaga
ou vira carcaça num simples
tocar

de mãos abanando eles seguem voando
sem nunca pousar

se Deus está morto
eles são seus abutres
açougueiros do ar

(aí uns versos que fiz pra minha exposição de gravuras no b_arco_)

2 comentários:

cm disse...

Tem um tanto de Goya nessa aí não tem não?

Um abarção,

Nani

Gravidez Lunar disse...

Pô Manu, só ontém no lançamento do Rassif, conheci a arte que faz vc, o que admiro muito. Agora olhando o teu blog, me sinto menos só. Pois, com mais um poeta, de imágens e música etc, a mundo assim fica melhor de respirar e viver. Valeu, sou o Zé da Livraria da vila. Dá uma olhada no meu blog.

Um abraço